Meia calabresa meia quatro queijos e um refri zero

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Fazer dieta nem sempre é prazeroso se o ponto de vista for a pressão cultural. Somos bombardeados a toda hora com propagandas, novelas, influencers em suas redes sociais desfilando “beleza” e saúde.

Mas qual é o padrão de beleza? Temos por obrigatoriedade, em nossas vidas, seguir esse padrão? ter um corpo sarado e barriga tanquinho é sinal de felicidade? Sim e não. Sim, se sua vontade é se imaginar fazendo um comercial de iogurte light numa praia de biquini, mas se sua vontade é viver bem e com saúde a resposta é não. Esse padrão maluco não importa. O que importa na verdade é ser saudável e se cuidar, da sua forma, sem pressão, e ser feliz consigo mesmo, independente se a calça jeans é 38 ou 48.

A doce ilusão de pedir um refrigerante zero numa pizzaria é uma das maiores sabotagens que podemos fazer. Ignorar o estrago que a gordura da deliciosa e quentinha pizza de quatro queijos e calabresa irá fazer é uma auto sabotagem sim. A necessidade de se manter na dieta encarada duramente na semana, te faz acreditar que o zero açúcar vai te salvar. Não vai.

O que te salva é sua consciência. É não se iludir com os corpos perfeitos da internet. É parar de achar que só vai ser feliz quando for magra, quando vestir 38. A felicidade está no ato de aceitar quem você é, independente do peso. Claro que perder alguns quilinhos é ótimo para a saúde, não para provar para os outros que você é maravilhosa. Por que você já é. Corra e coma quando tiver vontade. Evite carboidrato quando achar que merece eliminar um ou dois quilos, mas não limite sua vida às dietas malucas. Seu corpo é sua morada, faça dele uma casa de felicidade, de saúde e de prazer. Não o escravize para tentar ter uma vida que não é sua, que ilude e maltrata. E brinde sempre sua saúde de forma consciente, sem exageros, com pizza ou salada, com “refri’’ zero ou não.

 

Um rímel, um café e um textão é a coluna semanal de Juh Hunzicker

Outras publicações

Rolar para cima