A 4º onda e a dança da chuva

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Marieta estava confortavelmente relaxada em sua poltrona vendo as notícias pelo celular. Agradeceu aos céus as chuvas dos últimos dias. Numa tentativa inútil de se eximir da sua responsabilidade por encontrar soluções para a falta de água que a população sofre. Enquanto isso, na frente do espelho, Carlitos com sua faixa verde e amarela escrito “EX’’ experimentava uma fantasia para o próximo carnaval. Na tv, o noticiário falava de uma possível 4º onda da pandemia no velho continente. Cuja culpa, sem dúvida, é das próprias pessoas negacionistas que não tomaram a vacina.

Marieta e Carlitos são do alto escalão do governo do País da Palhaçada. Um país emergente (?) do 4º ou 5º mundo! Lindo e imponente, pobre e corrupto.

Um país que precisa urgente de medidas e soluções para o desemprego, a fome e que também merece água. Seja para lavar a roupa ou a alma. Que sonha com a liberdade e que quer a folia do carnaval como comemoração, não como estopim para mais um ano trancado em casa.

Ainda sentada, Marieta não pensava em como livrar o rio e as represas da sobrecarga da responsabilidade de abastecer o tal país. Enquanto Carlitos, treinando os passinhos do bloquinho, não ligava para a onda gigante que chegaria logo.

No fundo a banda de axé do momento trilhava a cena: Marieta fazendo a dança da chuva, pois achava mais prático do que fazer seu próprio trabalho, enquanto Carlitos dançava com sua fantasia se aquecendo para o tão sonhado carnaval.

Na tv, a banda chacoalhava a todos com seus hits agitados e, no fundo, num painel, o nome da banda brilhava. Era um nome singular e atual, pegou igual chiclete, representando o momento atual do povo: ‘’Tamu Lascado’’!

Outras publicações

Rolar para cima